Estatina parece Reduzir o Risco da Catarata

Estatina parece Reduzir o Risco da Catarata

Resultados de estudo dizem que remédio para colesterol diminui as chances do indivíduo desenvolver a catarata. No entanto, eles ainda não são conclusivos.

CHICAGO, EUA – Adultos que tomam uma popular droga contra o colesterol, as estatinas, parecem ter um risco reduzido de desenvolver o tipo mais comum de catarata, a catarata relacionada à idade. É o que sugere uma pesquisa preliminar. O resultado do estudo não é definitivo e é inesperado, porque a preocupação inicial era de que remédios para o colesterol intensificassem o risco de cataratas, diz a principal autora do trabalho, a médica Barbara Klein, da Universidade de Wisconsin em Madison.

“Muitas drogas jamais chegaram ao mercado por causa desse temor”, disse ela, e por isso, quando as estatinas ganharam popularidade nos anos 90, médicos perguntaram-se sobre o potencial de dano aos olhos. Mas o estudo encabeçado por Klein, envolvendo 1.299 moradores da cidade de Beaver Dam, descobriu que os usuários de estatinas tinham menor probabilidade de desenvolver cataratas que os não-usuários. Os moradores foram acompanhados por cinco anos, de 1998 a 2000 e de 2003 a 2005.

“Foi bem surpreendente”, disse Klein.

Cataratas são manchas que aparecem na lente natural do olho, o cristalino, e representam uma importante causa de cegueira em todo o mundo. A maior parte dos casos é associada ao envelhecimento. As estatinas, por sua vez, são conhecidas pela capacidade que têm em reduzir o chamado “colesterol ruim”, ou LDL.

De acordo com o trabalho de Klein, usuários de estatinas tiveram 45% menos chance de desenvolver cataratas nucleares – que afetam o núcleo do cristalino, e são o tipo mais comum de catarata ligada à idade.

Os resultados do estudo são interessantes mas ainda não bastam para provar uma relação de causa e efeito entre a droga e o benefício para a visão, alerta Natalie Kurinij, do Instituto Nacional do Olho, que ajudou a financiar o estudo. “As pessoas não devem sair tomando estatinas para evitar cataratas”.

Fonte: AP – O Estado de São Paulo

* Muito importante: Apenas seu oftalmologista pode avaliar com precisão seu caso clínico em particular.
Clique aqui para agendar uma consulta ou ligue: (12) 3832.3567